OAB Paraná entrega nova Sala da Advocacia no TRE-PR

 

A diretoria da OAB Paraná entregou na manhã desta quinta-feira (12/11), às 9h30, a nova Sala da Advocacia no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), corte presidida pelo desembargador Tito Campos de Paula. O espaço, que já existia, foi revitalizado para atender melhor as necessidades da advocacia. Na solenidade conduzida pelo presidente seccional, Cássio Telles, a OAB Paraná foi também representada pela vice-presidente Marilena Winter, pelo secretário-geral Rodrigo Sánchez Rios, pelo diretor-tesoureiro Henrique Gaede, pelo diretor de prerrogativas Alexandre Salomão, pelo conselheiro estadual Luiz Fernando Pereira e pelo presidente da Comissão de Direito Eleitoral, Leandro Rosa.

“Nesta cerimônia singela quero registrar que as salas têm um significado muito relevante para nós, advogados. Isso porque, de certa forma, espaços como este exteriorizam aquilo que o artigo 133 da Constituição Federal prevê: a advocacia é indispensável à administração da justiça. Essa sala serve para que nossos colegas tenham um local de apoio. As sessões estão se estendendo até altas horas e este espaço permitirá aos advogados, enquanto aguardam, trabalhar, consultar seus outros processos, conversar com os clientes”, declarou Telles.

Painel

Para ele, o painel de imagens instalado na sala retrata bem o papel da advocacia no cotidiano da sociedade. “Temos um grande patrono, que é Rui Barbosa. Participamos das manifestações pela redemocratização do país, tanto nas ruas quanto na Conferência Nacional de 1978, presidida em Curitiba pelo nosso Eduardo Rocha Virmond, ao lado de Raymundo Faoro. Essa conferência marcou o início da redemocratização. Logo depois dela foi restaurado o Habeas Corpus, caiu o AI-5 e começou o movimento pela democracia. As Diretas Já estão também representadas no painel, com as primeiras manifestações na Boca Maldita. Nós, advogados, fomos talvez a maior instituição a atuar nessa campanha e nos orgulhamos muito disso. O movimento culminou na instalação da Assembleia Nacional Constituinte, com a relatoria de um ex-presidente do Conselho Federal OAB, Bernardo Cabral, e no retorno das eleições diretas para presidente. E temos ainda a imagem da promulgação da nossa Constituição Federal por um parlamentar que era também advogado, Ulysses Guimarães. Então realmente esse painel mostra o que é a advocacia. Formamos, com a pequena contribuição de cada um de nós, um grande mosaico da cidadania”, destacou.

Telles também agradeceu a boa interlocução da seccional com o TRE-PR, cumprimentando a magistratura eleitoral pelo notável serviço prestado. “A forma é sempre muito respeitosa. O senhor, desembargador Tito, tem a característica do diálogo e do equilíbrio. Isso transmite a todos nós segurança e tranquilidade para atuarmos na Justiça Eleitoral sob sua presidência”, disse dirigindo-se ao presidente do tribunal.

Papel

O presidente Tito Campos de Paula expressou sua alegria pela oportunidade congraçamento. “Agradeço a presença dos diretores da OAB e na pessoa deles cumprimento toda a advocacia. A OAB está para completar 90 anos e nesse período provou a importância que tem e sempre terá a democracia para o nosso país. Quando a democracia esteve subjugada, a OAB estava lá para atuar. Neste momento, de plena democracia, essa atuação é também fundamental, para não corrermos riscos de ruptura. O papel da OAB é muito relevante na formação dessa teia de segurança para a democracia. A Justiça Eleitoral é a casa da democracia”, pontuou o desembargador Tito Campos de Paula.

 

 

 

Manifestações

"Para nós, de certa forma, é a realização de um sonho, nascido de uma vinda aqui em achamos que uma revitalização seria necessária. Precisamos de símbolos e, como o presidente Cássio bem disse, esse painel retrata bem nossa atuação. Nesses trinta e poucos anos desde a promulgação da Constituição estamos tentando consolidar uma democracia. Sabemos que não é fácil e que somente é possível com essa união de esforços da qual a advocacia pode se orgulhar. Temos realizado pela parceria da nossa Comissão de Direito Eleitoral, do Ministério Público e da magistratura,  muitas ações efetivas em prol da sociedade, da ampliação da participação feminina. A sala, portanto, simboliza esse esforço conjunto e gratificante."

Marilena Winter



É uma satisfação estar aqui com o desembargador Tito Campos de Paula, colega de turma na universidade, neste momento bastante especial. Esse espaço inaugura uma série de outras remodelações que pretendemos fazer. Temos aqui uma sala-modelo para as demais. É, sobretudo, um espaço de democracia, muito importante pelos significados simbólicos. Essa foto de 1978 renova nosso ânimo em momentos de pouca inspiração. Ao vê-la e lembrar dos discursos da conferência de 1978 me animo a trabalhar mais para tentar construir um país melhor."

Henrique Gaede



"Gostaria de externar meu agradecimento a todos que participam desse exercício da democracia feito aqui na Justiça Eleitoral. Sou feliz por exercer com liberdade o múnus da advocacia aqui na Justiça Eleitoral, onde servidores e magistrados nos propiciam atuar com liberdade e nos tratam com respeito. Prova disso são os votos firmes, justos e independentes; ora agradando, ora não agradando nossos interesses. Essa liberdade faz o direito eleitoral no Paraná grande, justo e reconhecido no país todo. Fica o meu reconhecimento, inclusive ao Luiz Fernando Pereira, que foi o primeiro presidente da Comissão de Direito Eleitoral, abrindo um espaço para a advocacia na estrutura do TRE-PR."

Leandro Rosa



"Sob a presidência de José Lucio Glomb na OAB Paraná e da desembargadora Regina Portes aqui no tribunal de fato inauguramos a primeira sala da OAB no TRE-PR. Queria dizer que Rui Barbosa, presente no painel, tem grande conexão com o direito eleitoral. Ele disputou a presidência República duas vezes. Na primeira, com Hermes da Fonseca e na segunda com Epitácio Pessoa. E nosso patrono foi lesado nesses duas vezes em eleições presidenciais. Ainda não havia advogado eleitoral. A Justiça Eleitoral foi criada em 1932 exatamente como resposta às situações de fraude observadas na Primeira República. Sobre esta sala quero dizer que, dada a agilidade da Justiça Eleitoral, precisamos muito do espaço. Não dá tempo de ir ao escritório para fazer petição."

Luiz Fernando Casagrande Pereira

Postado em: Destaque, Notícias | Tags: , , ,

Desenvolvido por ledz.com.br