Marcha em Defesa das Prerrogativas chega a Jaguapitã, com desagravo em favor da advogada Nayara Vieira

 

Após passar pelos municípios de Primeiro de Maio, Londrina e Cambé, a Marcha em Defesa das Prerrogativas chegou no final da tarde desta quarta-feira (23) a Jaguapitã, onde a OAB Paraná prestou o apoio e a solidariedade da classe à advogada Nayara Larissa de Andrade Vieira. A profissional teve as prerrogativas profissionais violadas pela atuação do investigador de polícia Kleber Ulisses Lima Silva enquanto tentava ter acesso aos autos de inquérito.

Além da consistente negativa por parte da autoridade policial em disponibilizar o inquérito policial, a advogada  vivenciou situação vexatória em razão do exercício profissional da advocacia. No processo relatado pela conselheira Melissa Folmann, a seccional entende que “quando o servidor público dificultou o acesso aos autos de inquérito policial, acabou por infringir prerrogativa da advocacia disposta na Lei 8906/1994, art. 7º, XIV”. Além disso, frisa ser “flagrante o desrespeito e indelicadeza no trato do Investigador de Polícia para com a nobre advogada, fazendo-a passar por situação vexatória e indignante”.

Participaram do ato de desagravo o presidente da seccional, Cássio Telles; a vice-presidente, Marilena Winter; o diretor de prerrogativas, Alexandre Salomão; o secretário-geral, Rodrigo Rios; o diretor-tesoureiro, Henrique Gaede; o os conselheiros federais Juliano Breda e Artur Piancastelli; os conselheiros seccionais e membros da Câmara de Direitos e Prerrogativas Luiz Fernando Casagrande Pereira e Paulo Buzato; e a presidente da OAB Londrina, Vânia Queiroz e sua diretoria.

Defesa das Prerrogativas

A OAB Paraná cumpriu uma série de desagravos ao longo desta quarta-feira (23) em comarcas da região de Londrina. Iniciativa inédita, a Marcha em Defesa das Prerrogativas passou por Primeiro de Maio, Londrina, Cambé e Jaguapitã.   A marcha começou nas dependências do Juizado especial Cível, Criminal e da Fazenda Pública da comarca de Primeiro de Maio, em favor do advogado Anderson Felipe Mariano. Depois seguiu para Londrina, onde foram desagravadas os advogados Bruna Gameiro Repukna e  Mauro Sérgio Martins dos Santos. Em Cambé,  o ato de desagravo foi realizado em favor da advogada Bárbara Elias Maruch de Castilho.

Postado em: Notícias | Tags: Sem tags

Desenvolvido por ledz.com.br