OAB Paraná acompanhará auditorias de urnas impugnadas

 

O presidente da OAB Paraná, José Augusto Araújo de Noronha, participou de reunião na quarta-feira (10) com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR), desembargador Luiz Taro Oyama, para discutir a apuração de denúncias de falhas técnicas em algumas urnas eletrônicas durante a votação do último domingo (7). Também estiveram presentes o corregedor do tribunal, Gilberto Ferreira; o desembargador Luiz Fernando Wowk Penteado, representantes do Ministério Público do Paraná e o representante do Partido Social Liberal, o advogado Gustavo Kfouri.

“A OAB Paraná foi convocada a participar desta reunião por conta de denúncias sobre possíveis fraudes em algumas urnas eletrônicas. Hoje foi feita uma explicação técnica, demonstrado que na urna impugnada não houve nenhum voto nulo para presidente. Está se apurando tecnicamente quais os problemas que ocorreram nesta urna”, disse Noronha.

Noronha ressaltou que o objetivo da OAB Paraná, como instituição apartidária, é resguardar a legitimidade e a integralidade da votação. “A instituição foi designada para acompanhar a situação, de modo a dar a segurança à população. Iremos acompanhar todos os procedimentos de votação, da lacração e verificação da integralidade da urna eletrônica. Também vamos participar das informações, por meio da chamada dos presidentes das 48 subseções, para que eles também possam atuar como orientadores e fiscais da votação”, explicou Noronha.

O presidente do TRE-PR explicou que serão feitas auditorias das urnas impugnadas e que novos aparelhos serão acrescentados no segundo turno. A data provável da verificação é o dia 19 de outubro. “Ambos os candidatos estarão convidados para acompanhar esta auditoria”, disse. Oyama esclareceu que podem ocorrer falham técnicas ou operacionais, no entanto descarta a possibilidade de fraude ou adulteração. “Vamos apurar todas as denúncias e esclarecer toda a sociedade”, garantiu.

Oyama frisou que a verificação de qualquer falha técnica que possa ocorrer nas urnas eletrônicas é interesse não só dos eleitores, mas da Justiça Eleitoral, “que trabalha sempre em busca da excelência na prestação de serviço para garantir a legitimidade do processo eleitoral”.

A OAB Paraná também foi convidada a acompanhar integralmente o processo de votação para o segundo turno, inclusive para promover uma verificação que garanta a segurança do pleito eleitoral e o respeito à soberana vontade do eleitor. “O cidadão precisa ter o seu direito ao voto assegurado e vamos trabalhar para garantir isso”, explicou.

 

Postado em: Notícias | Tags: , , ,

Desenvolvido por ledz.com.br